Uma Igreja na montanha onde Jesus falou das bem-aventuranças

8 de abril de 2010 às 01:26 | Publicado em Notícias do neocatecumenato | Deixe um comentário

Ecumenismo: A beleza atrai a todos e o local é visitado por hebreus, cristãos e ateus
Angela Pellicciari
Segue a primeira (…) porque deles é o reino dos céus”, assim diz em Mateus. “Bem-aventurados os que choram”, Bem-aventurados os que choram “,” Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, bem-aventurados os perseguidos “por causa de mim” são as Bem-aventuranças, o discurso mais impressionante já feito por um homem com autoridade.O lugar das bem-aventuranças não é um lugar somente para os cristãos. É também o monte onde Jesus havia dado instruções depois da ressurreição: e de fato, Mateus, nos recorda que os onzes “foram a Galiléia, no monte que Jesus havia indicado”. Mas onde está a montanha da bem-aventurança? De todos os principais lugares da vida, da morte e da ressurreição de Cristo, foram construídas, no decorrer dos séculos, Igrejas e basílicas, mais ou menos importantes, mais ou menos belas. Mas no monte das bem-aventuranças é inexistente (ou quase). Ora não é mais o caso.  Foi João Paulo II, em sua peregrinação a Israel em 2000, para inaugurar a primeira parte da não-usual, grande, e moderna construção, que é a Domus Galileae. Foi construída em terreno de propriedade da Custodia da Terra Santa, A Domus foi concebida pelos fundadores do Caminho neocatecumenal: Kiko Argüello e Carmen Hernandez. Pedimos ao Pe. Rino Rossi, “coração” da organização e pai espiritual da Domus, explicasse porque os católicos, depois de dois mil anos, decidiram construir no monte das bem-aventuranças um prédio edifício futurístico, chamado Domus: “O Caminho neocatecumenal -responde- põe o discurso do monte no centro da nova evangelização. Naturalmente que os seus iniciadores desejaram construir naquele lugar uma casa para hospedar as comunidades em peregrinação na Terra Santa. A Domus, no entanto, não é somente um centro de acolhimento para os católicos. De quando João Paulo II celebrou aqui uma eucaristia para 50.000 jovens do Caminho provenientes das 72 nações, os israelenses estavam curiosos e atraídos por esta nova realidade que viram “ao vivo” pelas redes de TV. Basta pensar que o ano passado houve mais de 100.000 hebreus que nos visitaram».
A Domus divide seus 15.000 m²: uma extensão considerável em que se destacam, encravados num outro, espaços diferentes utilizados para outras funções. Quais são as principais funções dos ambiente da Domus?

«Em primeiro lugar há o Santuário da Palavra, que é  o lugar em que se faz a prescrutação da Bíblia. Com a  presença do Santíssimo Sacramento. Disse Jesus: examinai as Escrituras porque eles falam sobre mim. Depois há biblioteca: ao centro da sala, que é circular e é cercada por uma grande cúpula de cristal, sobre uma cabana de vidro é guardado uma antiga Torá; uma igreja dominada por um ícone gigantesco de 56 metros representado em cores vivas o Juizo Final; um auditório para os encontros internacionais com uma vista espetacular para o lago de Tiberíades. Ao centro da Domus há um mosteiro com uma capela para a adoração perpetua e, em seu interior há um seminário missionário Redemptoris Mater (um dos 80 seminarios que o Caminho construiu em todo o mundo)».

Quais sãos os relações que levam a Domus as várias tipologias de igrejas cristãs presente na Galiléia? «O Caminho é um serviço para a evangelização oferecida a toda a igreja local e seus varios ritos: latino, greco-católico, maronita e ortodoxo. De fato o ecumenismo de tanto se fala, é uma realidade da vida de todos os dias: são naturais da comunidades neocatecumenais im toda a igreja local, incluindo os ortodoxos»

O que se pensa ser a razão do sucesso da Domus ir além das expectativas? «Certamente a beleza. A Domus é um edificio de extraordinário impacto estético e da beleza são atraídos todos: hebreus, cristãos e ateus. Que vem fica fascinado. Nela em seu dois mil anos de história a Igreja tem sempre soube que o louvor a Deus é celebrada com o máximo da arte de que o homem é capaz. Depois algumas décadas de negligência e indiferença, Kiko e Carmen há retornado com força à tradição da beleza cristã. Não nenhuma coincidência de que Dostojevsky escrevera: “O mundo será salvo pela beleza”. A beleza é Cristo».

Il Tiempo

Anúncios

Deixe um comentário »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: